Luiz Andrade

 

Por: Solange Castro

Ele é um dos produtores musicais mais experientes do Brasil. Completando 36 anos na carreira, Luiz Andrade traz, com muito bom humor e respeito ao trabalho, uma bagagem admirável.
Em entrevista exclusiva ao Alô Música, ele conta um tanto da sua trajetória, suas conquistas e aventuras…

Solange Castro

 

 

Solange Castro – Luiz, como começou sua carreira?

Luiz Andrade – Na sociedade Hípica Brasileira, meramente por acaso. Eu tinha 22 anos, era dono de uma empresa de projetos e reformas imobiliária, ganhei uma concorrência para restauração da Hípica, daí eu estava na hora certa e no lugar certo, ia ter um show e a banda que foi contratada faltou. A responsável do evento comentou comigo, mesmo sem eu ter nada com isso acabei resolvendo o problema. Com isso acabei virando empresário artístico.

Solange Castro – Você produziu o primeiro Festival de Rock do Brasil – como foi essa aventura?

Luiz Andrade – Adorava o Rock, Beatles, Rolling Stone e todos da época e mais ainda… Pink Floyd… Li tudo sobre o festival Woodstok. Conheci artistas que participaram do Festival como Jane Jooplin, Joo Coker e outros. Acabei fazendo o festival, sonhava com uma réplica de WoodStok, mas de 40 (quarenta) artistas participaram como: Tim Maia, Rita Lee,Gal Costa entre várias bandas.

Solange Castro – Fale sobre as “discotecas”…

Luiz Andrade – Na Hípica em 1969, virou febre era público com som caseiro e tudo e tudo foi se transformando, era sucesso absoluto! Fiquei conhecido e acabei sendo empresário do Ademir do Bateaux, Monsieur Lima e tantos outros.

Solange Castro – The Plathers em turnê pelo Brasil inteiro…

Luiz Andrade – Foi um grande aprendizado, eram Afro Americanos extremamente profissionais em menos de 01 ano mais de 200 (duzentos) shows realizados a maioria em grandes teatros.

Solange Castro – E suas turnês internacionais?

Luiz Andrade – Estive em 16 países da Europa, México, América do Sul quase toda e Estados Unidos.

Solange Castro – Aproximadamente quantos shows você já produziu?

Luiz Andrade – Com certeza mais de 6.000 (seis mil) shows.

Solange Castro – E discos?

Luiz Andrade – No meu comando: 20 discos de ouro; 04 de platina; 01 diamante.

Solange Castro – Quantos artistas foram “feitos” por você?

Luiz Andrade – No sentido que gravar um disco, passa na mão de vários empresários e só aconteceu na minha mão, mais de 20 e simplesmente serem empresariado por mim, mais de 30.

Solange Castro – Na vida profissional, o que deixou saudade?

Luiz Andrade – Até a pouco tempo eu não entendia que sucesso tinha data de validade, então tinha saudades dos artistas que eram sucesso em várias épocas.

Solange Castro – Você vem há anos apostando na linha Samba-Pagode – agora está estourando Gustavo Lins… Como começou esse trabalho e qual o horizonte?

Luiz Andrade – Como tudo na minha vida profissional, nada acontece por acaso, Gustavo Lins surgiu para mim na hora certa para ele e vice-versa.

Solange Castro – Luiz, quais os maiores problemas que você vê na nossa profissão?

Luiz Andrade – A falta de profissionalismo em determinadas funções, a falta de reconhecimento no segmento, a falta de visão no mercado e principalmente a falta de investimento das empresas nessa linha tão promissora.

Solange Castro – O que e como você acha que pode e deve ser mudado?

Luiz Andrade – A profissionalização ser encarada como primordial por empresários, técnicos, artistas e produtores e não como lazer, quebra-galho.

Solange Castro – O que você mais gosta na produção musical?

Luiz Andrade – Programação Visual.

Solange Castro – O que você diria para os que estão iniciando carreira?

Luiz Andrade – Procurem outra área.

 

Maio de 2005