Julia Torres

Julia Torres é espanhola, apaixonada pela música brasileira a tal ponto que criou o www.musicasdobrasil.net, site que divulga o melhor da música brasileira independente no exterior…
Um dia, com grande surpresa, recebi um e-mail seu e começamos a trocar informações…
Com opinião muito bem formada sobre nosso universo musical, nos concedeu entrevista exclusiva…

Solange Castro

Solange Castro – Alô, Julia – como começou teu relacionamento com a Música Brasileira?

Julia Torres – Alô, Solange. Bom, tudo começou com a minha irmã e sua coletânea vista na TV. Aí quando ela comprou e ouvi a voz do Jorge Ben (Jor) com o “País Tropical” fiquei fascinada! Depois Elis, Jobim, Gil…
Depois com a chegada da Internet completei informações e descobri resto de músicos maravilhosos.
Esses foram os primeiros contatos com a música brasileira.

Solange Castro – E por onde consegues contatos com nossa música?

Julia Torres – Bom, aqui na Espanha poderíamos dizer que temos duas fontes de informações importantes: Tangará (empresa de venda de discos brasileiros) e Rádio Nacional de España – Radio 3.
Se você conhece algum deles, pode conseguir muita informação e também contatos.

Solange Castro – E como veio a idéia de fazer teu site?

Julia Torres – Bom, tudo começou quase como loucura e curiosidade… Eu estava (e ainda estou) apaixonada pela música brasileira desde os 12 anos de idade, e anos depois veio a “febre” da Internet. Aí eu pensei “por que não juntar as duas paixões”?
Comecei a aprender desenho de sites e foi quando conheci uma pessoa muito importante, o Juan. Nos unimos e começamos a dar forma ao site.

Solange Castro – E como você pesquisa o conteúdo?

Julia Torres – Hehe… Isso é o repto! Por sorte agora com a Internet é tudo bem mais fácil, mas aqui na Espanha é muito difícil achar algumas coisas.
A pesquisa sempre começa com o estudo dos discos, dos músicos que tocam no disco. Aí já tem uma referência.
Não é só ouvir e basta, não. E depois existem algumas revistas, jornais, o virtual…
Por sorte há portais também de música brasileira (como o “Alô…”) que informam de tudo e assim evita de levarmos tantas horas na procura de uma informação.

Solange Castro – Quais os outros sites que você pesquisa?

Julia Torres – Bom, há uma variedade importante… Os principais são o “Cliquemusic”, “O Fuxico”, “UOL”, “Alô Música”, “Ziriguidum”… E depois é navegar pela Internet e sites mais modestos.

Solange Castro – Qual o tipo de informação seria interessante você receber daqui do Brasil?

Julia Torres – A informação que a gente quer do Brasil é, sobretudo, as agendas de shows dos artistas. Acho bem importante poder desfrutar dos artistas sobre o palco. Mas também o grande erro é a péssima distribuição que tem os trabalhos em geral, assim como os custos dos CD’s.
Outro tipo de colaboração perfeita é, sem dúvida, a vinda das gravadoras.

Solange Castro – Atendendo a pedidos como o teu (e de muitos brasileiros morando no exterior, como dos próprios estrangeiros, amantes da nossa música), acabamos de colocar a “Agenda no Exterior” no ar…

Julia Torres – O Brasil tem uma música que sempre dá banho no resto, mas não sai do próprio país. Esse é o maior erro da música brasileira.

Solange Castro – Como assim?

Julia Torres – Brasil de hoje para o exterior (fora do Brasil) é pouco mais do que um Caetano Veloso, uns Tribalistas, Gilberto Gil e febres do ano. Acho isso um grande erro. Assim é impossível mostrar para o público que a música brasileira é mais do que um simples Caetano ou samba-enredo.

Solange Castro – Sem dúvidas… Temos músicas fantásticas, mas que nem os brasileiros conhecem…

Julia Torres – Certo, eu fico atormentada também com isso. Até no próprio Brasil não são reconhecidas grandes obras! Mas aí o erro é o interesse de algumas gravadoras. Resumindo: dinheiro.

Solange Castro – Você tem rádio no teu site?

Julia Torres – Sim, tenho rádio. É na verdade a gravação de um programa de rádio que se fez na nossa cidade de Zaragoza. Se fosse preparado só para o site perderia essa emoção do ao vivo. Acho também que o formato rádio com comentários é mais ameno para ouvir.

Solange Castro – Sim, com certeza… Gostarias de receber discos e informes do nosso universo musical para apresentar no site e na rádio?

Julia Torres – Nossa! Esse presente é o melhor sonho!
A diferença do que muita gente pensa do nosso site, o ‘Músicas do Brasil e mais’ não se comporta como uma empresa aonde nós cobramos por divulgar. Tudo é simpatia e amor pela música. De feito nós negamos até o pago pela divulgação.
Tratamos o ‘Músicas do Brasil e mais…’como se fosse uma O.N.G. E achamos maravilhoso e agradecemos gravadoras como a Lua Discos que desde o começo confiou em nós para a divulgação através do rádio. Uma rádio que depois é publicada no site, claro.

Solange Castro – O Alô Música também não cobra para fazer qualquer tipo de divulgação – aqui no Brasil isso é chamado de “jabá” e somos contra… Colocamos no ar o que é bom, porque gostamos…
Vou divulgar teu site nos Selos, Gravadoras, Produtores e Assessores de Imprensa daqui – espero que tenhas bom retorno…

Julia Torres – Com certeza nós estamos falando também de vocês… Acho um benefício para o resto das pessoas informar de sites legais onde sua única pretensão é divulgar a cultura brasileira e não os interesses ocultos…
Lembro tempo atrás quando fizemos uma pergunta para os visitantes: “Pensa que a música brasileira está perdendo criatividade?” No início achamos até bobo formular a pergunta, mas sabe qual foi o resultado? Cerca de 75% disseram que a música brasileira atual está sem criatividade!! Achamos loucura isso!

Solange Castro – Julia, não é loucura – o que nos chega realmente é, em sua grande maioria, música sem qualquer “arte”… Na verdade, a música brasileira está ótima, mas isso somente poucos, muito poucos têm acesso…

Julia Torres – Hum… Música com outra arte… Bom, não a arte de fabricar dinheiro…

Solange Castro – Rs…

Julia Torres – Basta dizer nomes como “Sandy & Júnior” ou “Kelly Key”
É música, sim, mas é um trabalho mais descansado no momento de criar qualidade musical. E talvez por isso a polêmica do “Tribalistas” também…

Solange Castro – Sim, mas como a Lua Discos temos outros excelentes Selos brasileiros – vou pedir para entrarem em contato contigo…

Julia Torres – O Brasil atual tem selos bem lindos como a Biscoito Fino. Mas é bem notável na Biscoito a presença não só de empresários senão também de músicos de qualidade como os Hime.

Solange Castro – Nossa, Julia – Kuarup, Rob Digital, Carioca Discos, Azul, Dabliú e tantas e tantas outras… Temos trabalhos fantásticos…
A Indie Records também está com um time ótimo – Fagner, Gal Costa, Alcione, Luiz Melodia, Lecy Brandão…

Julia Torres – Também. Mas o problema dessas gravadoras é a distribuição.
Apenas chegam seu catálogo ás lojas (não virtuais) no resto dos países.

Solange Castro – Hummmm… Temos pensado nisso…

Julia Torres – Aqui na Espanha temos o excelente trabalho de Alfredo Lorenzo com seu “Tangará” e podemos dispor de muitos discos brasileiros e dos CD’s da Kuarup, Rob Digital, etc.
Mas em outros paises isso é sonho.

Solange Castro – Sim… E a aceitação da música brasileira na Europa em geral, é boa?

Julia Torres – Depende… Bom, a música brasileira é bem engraçada e isso é muito a favor. Mas também é coisa de arriscar. Eu acho errado o que muitos músicos brasileiros fazem. Não querem atuar na Europa por medo de fracasso.

Solange Castro – Será que é isso?

Julia Torres – O público brasileiro é quase perfeito, sem dúvida. O brasileiro sabe cantar, sabe as letras, tem ritmo. O europeu não. E isso é um repto para qualquer artista.
Mas é certo! Desesperadamente algumas pessoas pedem artistas brasileiros! Mas artistas que não sejam os de sempre…
Também ocorre quando um espanhol viaja para o Brasil… Mostra suas músicas, mas como não teve divulgação e a linguagem é outra, é bem mais difícil de convencer.

Solange Castro – Compreendo… Mas a música espanhola não nos chega…

Julia Torres – A música espanhola, a puramente espanhola, não tem o apoio suficiente no próprio país… Portanto, é bem difícil ele sair fora da Espanha.

Solange Castro – Compreendo… Uma pena… A música espanhola é tão bonita…
Vou te apresentar verdadeiras maravilhas da nossa música… Recebemos obras fantásticas da música independente aqui no Alô…

Julia Torres – A música brasileira é bem invejada por isso. É mais aberta e rica em ritmos do que o resto…
Bom, mas a música africana é na verdade a que deu criatividade inicial para a música brasileira… não esquecer isso…

Solange Castro – Sim, Julia, temos uma diversidade enorme de ritmos – mas somos um País com dimensões continentais, temos diversas hierarquias culturais, enfim…

Julia Torres – Bom, sempre digo que Brasil tem a solução escrita na bandeira. A primeira é coisa de dar ordem ás coisas. E quando já estiver preparada a ordem, então é tempo de progresso.

Solange Castro – Rs… Certíssimo…
Estou sentindo um “ar novo” chegando, um cheirinho de “coisa nova”… Acho que a música brasileira vai voltar a ter seu lugar, deixando o “comercial” de lado…

Julia Torres – Talvez… A primeira coisa é mentalizar aos músicos disso também.
Mas a coisa não é de voltar para o mesmo estilo ou imitação da antiga música brasileira, não. É coisa de parar, estudar e depois lançar.

Solange Castro – Claro, nem pensar – tem muita coisa nova de ótima qualidade chegando…
Como disse Chico Buarque, “Avoé, jovens à vista…

Julia Torres – Sim. Por exemplo, achei “revolucionário” o disco “Dindinha” da Ceumar.
É diferente, totalmente diferente do resto. Algo com qualidade, mas ao mesmo tempo simples. Um trabalho agradável por completo… Também o projeto “Diplomacia” do Batatinha foi outro prêmio. São discos que em certo modo são referências. Mas o resto dos músicos e gravadoras brasileiras não estão conscientes disso. Acho trabalhos como esses completos “movimentos”.
E não outros que pretendem ser e mais é coisa de ideologia e conveniência.

Solange Castro – Certamente…
Julia, tens um português muito bom – onde aprendestes nossa língua?

Julia Torres – Tudo ouvindo música brasileira!! Ainda lembro quando cantava e inventava as letras no começo… Quando ainda não compreendia o que diziam… hehehe

Solange Castro – Nossa – mas escreves muito bem para quem não teve um estudo acadêmico…

Julia Torres – Obrigada, mas não é perfeição… hehehe..

Solange Castro – Julia, estás para vir ao Brasil em novembro – vais à Bahia – não vens conhecer o Rio de Janeiro?

Julia Torres – Certo, vou pra Bahia. Na verdade é que vou com uma oferta de agência, por isso não percorro o Rio… hehe.
Mas por outro lado, acho melhor conhecer primeiro Bahia, terra aonde muita coisa começou. Da Bahia já tenho referências de gente, aliás dos grandes como Dorival Caymmi ou nos livros de Jorge Amado, entre outras… Espero estar no lado cultural da Bahia e não só o lado turístico.
Com certeza, num futuro vou para o Rio de Janeiro e também São Paulo, Porto Alegre (terra da Elis Regina), etc.

Solange Casto – Deixarias um recado para o povo da música brasileira?

Julia Torres – Sem música do próprio país -e mais se é a brasileira- não pode-se viver! Pena ouvir um brasileiro mesmo dizer que não curte a música do Brasil. Vocês tem o ritmo na veia. Como já diz o Jorge Ben Jor numa canção: “disseram que eu cheguei (no parto) sorrindo e cantando, em vez de chegar chorando”. Ou Caymmi no seu “Samba da minha terra”…

Solange Castro – E qual o teu e-mail e endereço para que possamos enviar material para você?

Julia Torresjuliatorres@musicasdobrasil.net

Conheça o Site www.musicasdobrasil.net